De olho na LBFF #4: agora na Team Liquid, elenco ex-B8 está em “outro patamar” na briga pelo título nacional; análise

Depois de tomar os holofotes como B8 na 3ª temporada da antiga Pro League, LUUUKING, Peu, JAPABKR, Raposo e LukasTD chegam na Liga Brasileira de Free Fir...

Depois de tomar os holofotes como B8 na 3ª temporada da antiga Pro League, LUUUKING, Peu, JAPABKR, Raposo e LukasTD chegam na Liga Brasileira de Free Fire (LBFF) como atletas da Team Liquid, uma das organizações mais vitoriosas e prestigiosas mundo afora.

B8 agora é Team Liquid (Foto: Divulgação)

O elenco – que se destacou desde a etapa qualificatória – surpreendeu pelo nível apresentado na elite e hoje é tido como um dos mais fortes do cenário, chegando na LBFF como favorito para brigar de igual para igual com as equipes que almejam o topo da tabela.

Juntos desde a B4STARDOS, uma das principais características do time de Peu, além da união, é a constância, que faz com que a equipe consiga bons resultados tanto em Bermuda quanto em Purgatório. Dificilmente a ex-B8 consegue se sair mal quando não tem o seu lugar de queda contestado pelos adversários.

Isso tudo é possível graças a habilidade individual e conhecimento de rotação que não deixa a desejar no elenco da Liquid. Liderados pelo novato JAPABKR, o time consegue desenvolver boas trocações e sempre busca um posicionamento favorável para terminar as quedas pelo menos entre os quatro melhores.

O ponto positivo, no entanto, vai de encontro ao ponto negativo: quando tem a sua queda contestada, a Liquid às vezes se atrapalha na execução do seu jogo e isso custou caro no passado, sendo um erro a ser trabalhado pelo time no ano vindouro.

Embora tenha terminado a última final na quinta colocação, deve-se levar em consideração que os jogadores estavam disputando o seu primeiro presencial juntos – sendo também o primeiro grande campeonato da carreira de Japa, que desempenha a função de capitão do time. Mesmo que tenha se destacado como um dos melhores jogadores da fase regular na última FFPL, o clima presencial é outro, e isso com certeza afetou o psicológico do jogador, que já chega mais bem preparado para disputar a LBFF.

B8 na final da Free Fire Pro League no Rio de Janeiro

Trabalhar o psicológico é importante e por isso os jogadores da TL serão acompanhados pelo psicólogo da organização em solo brasileiro, o profissional Claudio Godoi, campeão brasileiro em diversas modalidades e um dos principais nomes da sua função no cenário.

Isso, somado a toda estrutura de peso que a Team Liquid oferece aos seus jogadores, eleva o patamar da equipe comandada pelo técnico Matheus Souto, que agora conta com todo o suporte necessário para brigar de vez por títulos e mais títulos nacional e internacionalmente.

Categorias: Free Fire, LBFF, Série A, Temporada 1
Tags: , , , ,

Deixe um comentário!