Com Martins e Boss no elenco, Team Liquid busca mais um título da LBFF

Técnico da Liquid comenta sobre campanhas recentes, mudanças no elenco, perda do Peu e expectativas para próxima etapa da LBFF. Confira na íntegra.

O primeiro troféu da Liga Brasileira de Free Fire (LBFF) foi erguido pela Team Liquid, que entra mais uma vez com sede de título. Mesmo que os resultados mais recentes não sejam reflexo do time atual campeão nacional, o técnico Matheus Souto acredita que o elenco tem caminhado em direção a boa forma que apresentou no início do ano. 

17 pontos de diferença com relação a Los Grandes tirou a Team Liquid da decisão da C.O.P.A. Free Fire. Inconsistente, o time teve dificuldades para encaixar durante todo o campeonato e mesmo os bons momentos não foram o suficiente para que a equipe superasse times que conseguiram embalar no final da fase regular.

“Tivemos uma mudança radical no nosso time por falta de um capitão, uma voz ativa no elenco. Buscamos adaptação de todas as formas que podíamos, mas não encontramos um encaixe”, disse Souto.

A falta de uma liderança se deu muito pela ausência de JapaBKR, que liderava o time dentro de jogo. O MVP da última LBFF foi colocado no banco meses após a conquista do título e não foi escalado em nenhum jogo na C.O.P.A. Free Fire, o que confirmou ainda mais os indícios de que ele deixaria o time, como fez no final da temporada. 

No entanto, a Team Liquid soube se reforçar na janela de transferências e trouxe dois nomes de peso para a titularidade do elenco. Martins, vice-campeão da LBFF pela Vivo Keyd, e Boss, campeão da Série C pelo Santos, chegam para disputar a próxima etapa da LBFF ao lado de LukasTD, LUUUKING e Zenac – contratação que reforçou a equipe na C.O.P.A. Free Fire.

“A chegada do Martins é justamente essa voz ativa que precisávamos, ele é o capitão que faltava, quem vai fazer o time rodar. O Boss é um cara que se destacou na LBFF e soma muito no rush, sempre joga para frente e puxa o time com ele, uma agressividade boa”, explicou.

“Talvez não seja um perfil tão semelhante (em comparação ao elenco da primeira etapa), mas tentaremos direcionar para que seja tudo bem desenhado como foi o time campeão”, continuou.

Renovada, Team Liquid busca o bicampeonato da LBFF (Foto: Felipe Maaker/Team Liquid)

Ao mesmo tempo que contará com o apoio de novos jogadores, Souto perde uma peça importante no elenco. Peu, uma das figuras mais marcantes da Cavalaria no Free Fire, acabou banido e ficará de fora da próxima LBFF. O técnico afirma que foi surpreendido pela baixa, mas exalta confiança e acredita que o time tem rodado bem com as peças que estão a disposição.

“Sim, (o banimento) me pegou de surpresa. O Peu seria o cara para acompanhar o Boss na linha de frente no rush. Mas estamos encontrando nosso jogo sem ele, que quando voltar, vai apenas somar mais ainda”, disse.

As coisas estão indo bem para a Team Liquid nos bastidores e as expectativas na corrida pelo bicampeonato são as melhores possíveis. Renovado, os erros cometidos na C.O.P.A. Free Fire não devem se repetir e os adversários podem se preparar para enfrentar uma equipe ainda mais forte do que foi aquela que ergueu o troféu no dia 15 de março.

“A contratação dos novos jogadores para assumir as funções nas quais estávamos desfalcados é o início de tudo que eu e a staff da Team Liquid tínhamos em mente para que os resultados sejam diferentes do que foi na C.O.P.A. Free Fire. As expectativas são as melhores possíveis, podem esperar um time consistente e agressivo na LBFF”, finalizou.


Leia mais sobre as expectativas das outras equipes da Liga:

Categorias: Free Fire, LBFF, Série A
Tags: , , , , ,

Deixe um comentário!