Relembre momentos que marcaram o competitivo de Free Fire em 2020

Recordes batidos, movimentações insanas e a força do Lança-Granadas: veja lances eternizados na história do Frifas

Apesar do ano difícil, o cenário brasileiro de Free Fire proporcionou muito. Foram vários campeonatos, nacionais e internacionais, que nos proporcionaram jogadas e momentos memoráveis, além de recordes batidos e fortes emoções. Wanheda, OTremBB, mvr, entre outros aparecem na lista que traz momentos que estão eternizados na história do Frifas.

Antes de falar sobre as jogadas, vamos relembrar algumas situações inesperadas? A Free Fire Continental Series (FFCS) das Américas fechou o ano competitivo com chave de ouro e deixou ainda mais escancarado o alto nível do Brasil em relação às outras regiões da América Latina. 

Depois de um domínio no Play-In (primeira fase do torneio latino-americano), que levou Cruzeiro, Flamengo B4, RED Canids e Santos para o evento principal, os representantes brasileiros dominaram na Final e tomaram o pódio: foram sete equipes nas primeiras colocações. 

Team Liquid e Santos ainda fizeram história nas últimas quedas e foi preciso correr atrás dos critérios de desempate para entregar o troféu à Cavalaria, que superou o Peixe por causa dos pontos por colocação. O equilíbrio da equipe de Lukas.TD, melhor jogador do campeonato, e o poder do Santos de mvr, um dos melhores do ano, não serão esquecidos.

Bem como a FFCS das Américas, outra competição bastante disputada foi a primeira Taça das Favelas Free Fire. Divinéia-PR foi a periferia que levou o troféu, mas o Jardim Florianópolis-MT quebrou recordes: com uma queda excepcional no início do segundo bloco, o representante do Mato Grosso emplacou 70 pontos, resultado de 25 abates e um BOOYAH! fora de série. A Fear, que acabou rebaixada para a Série B, tinha o recorde de abates, conquistado na antiga Free Fire Pro League. A B4 até chegou perto com 54 pontos (17 abates) na última etapa da Liga Brasileira (LBFF), mas o medo ainda não havia sido superado. 

Agora sobre as jogadas, será que foi o ano do Lança-Granadas? OTremBB, Raposo, mvr, DeadGOD, foram muitos os jogadores que doutrinaram com o armamento. Aqui, separamos dois lances: OTremBB fazendo a limpa na Cavalaria (para poucos, hein?) e mvr dando aula contra a paiN Gaming.

Movimentações insanas? Também tivemos. Aliás, uma delas até garantiu o bicampeonato das Américas de um monstro, Wanheda, campeão da Copa América como técnico da LOUD e do Gigantes Free Fire como jogador da RED. Outro capitão que também deu aula de movimentação foi Igzinn, que durante a fase de grupos da LBFF conseguiu um segundo lugar “pornográfico” para o Cruzeiro; sozinho, ele deixou para trás outras cinco equipes e só não marcou o BOOYAH! por causa da disparidade numérica no 1×4 contra a Vivo Keyd.

Ano que vem o cenário brasileiro de Free Fire promete muito e sem sombra de dúvidas novas jogadas ficarão eternizadas na história! Novidades em breve? 🚀🔥

Categorias: Destaques, Free Fire
Tags: ,

Deixe um comentário!