Os dez melhores times brasileiros de Free Fire em 2020

Veja as equipes que se destacaram ao longo da Temporada 2020 do Free Fire no cenário brasileiro de Free Fire

Por Gabriel Reis (@reisgg_)

A Temporada 2020 chegou ao fim e está na hora de eleger os dez melhores times de Free Fire em 2020. Na hora de montar o ranking, foi levado em consideração o desempenho das equipes nos campeonatos oficiais disputados ao longo do ano. Veja a lista:

10. GOD (Alok10, Broco, General, LuffyXX, Pato; Técnico: Zultra)

A caminhada até aqui:

  • 6º lugar C.O.P.A. Free Fire
  • Vice-campeão Gigantes Free Fire
  • 11º lugar LBFF 3

Os Deuses estrearam bem na elite, conseguindo uma boa colocação nas Finais da C.O.P.A. FF e logo de cara o vice-campeonato das Américas no Gigantes. Apesar do bom rendimento na fase regular da LBFF 3, o time não correspondeu às expectativas na decisão e amargou o penúltimo lugar, ficando de fora do principal campeonato do ano.

Garena

9. Santos HotForex (Lobato, Ruan, mvr, Max, Zikka, one9; Técnico: Cauan)

A caminhada até aqui:

  • 13º lugar C.O.P.A. Free Fire
  • 7º lugar LBFF 3
  • Vice-campeão FFCS das Américas

O Peixe começou o ano na Série C, mas ainda na terceira divisão se mostrou um forte candidato a bater de frente com os times da elite. A estreia na C.O.P.A. FF não a melhor, mas a recuperação foi certa: com mvr liderando o cardume, o Santos terminou a fase de pontos da LBFF 3 na liderança. A Final foi dura e rendeu o sétimo lugar aos Meninos da Vila, que ainda assim conseguiram a vaga para o principal torneio do ano através do Play-In, uma baita recuperação, coroada com o duro vice-campeonato na FFCS das Américas, que escapou nos critérios de desempate.

Garena

8. Black Dragons (OTremBB, Jubinha, Phoenix, Pedro.RS, yannn7; Técnico: Stark)

A caminhada até aqui:

  • 7º lugar LBFF 1
  • Campeão C.O.P.A. Free Fire
  • 4º lugar Gigantes Free Fire
  • 5º lugar LBFF 3

A Black Dragons surpreendeu todo mundo com o título na C.O.P.A. FF. Antes, ninguém dava nada pelo time, que hoje se tornou um dos principais do Brasil. No segundo semestre, disputou o Gigantes FF e consagrou-se o quarto melhor time das Américas, que parece ter sido o gás que faltava para deslanchar em solo nacional: os Dragões brigaram do início ao fim pela liderança na LBFF 3 na etapa regular, mas amargaram a segunda colocação e, mais tarde, nas finais, o quinto lugar. Ainda foi o suficiente para disputar o Play-In da FFCS, mas o time não conseguiu a vaga.

Garena

7. Flamengo B4 (DeadGod, Kauelok, Modéstia, Reei, Minuzi; Técnico: Machado)

A caminhada até aqui:

  • 9º lugar LBFF 1
  • 5º lugar C.O.P.A. Free Fire
  • 5º lugar Gigantes Free Fire
  • 6º lugar LBFF 3
  • 5º lugar FFCS das Américas

A B4 não começou o ano bem, mas a dança das cadeiras no final do 1º Split da LBFF foi o suficiente para mudar a cara da organização, que tomou os holofotes depois de um domínio fora da série na etapa regular da C.O.P.A. FF. Faltou experiência para levantar o troféu, mas o Top 5 das Américas veio no Gigantes FF. Na LBFF 3, os Bastardos foram apadrinhados pelo Flamengo. A parceira rendeu um início de campeonato forte, mas o nível foi caindo até as Finais. No Play-In da FFCS, conseguiram a vaga em grande estilo, mas no evento principal ficaram outra vez no Top 5.

Garena

6. LOUD (Kronos, Brabox, Noda, ViniZx, ShariiN, Will; Técnico: Cururu)

A caminhada até aqui:

  • Campeão Copa América
  • 3º lugar LBFF 1
  • 11º lugar C.O.P.A. Free Fire
  • 13º lugar LBFF 3
  • 1º lugar Série de Promoção – LBFF 4

A LOUD começou o ano com chave de ouro, mas tomou um susto daqueles no final da temporada. Campeão da Copa América, o primeiro campeonato latino-americano de Frifas, o time brigou contra o rebaixamento na 3ª etapa da LBFF. As expectativas foram excedidas na Série de Promoção e com uma apresentação surpreende a LOUD mostrou a verdadeira força do elenco e manteve-se na elite. Vale destacar ainda o desempenho individual de ViniZx, que conseguiu manter o alto nível até mesmo nos piores momentos da equipe.

Divulgação

5. RED Canids Kalunga (Dexter, Morato, Alemão, Chefão, Madanza, Wanheda; Técnico: Znz)

A caminhada até aqui:

  • 10º lugar LBFF 1
  • 3º lugar C.O.P.A. Free Fire
  • Campeão Gigantes Free Fire
  • 10º lugar LBFF 3
  • 4º lugar Play-In FFCS das Américas
  • 7º lugar FFCS das Américas

A Matilha brigou ponto a ponto para não ser rebaixada na LBFF 1. A redenção foi recompensada com uma boa atuação na C.O.P.A. FF e o título latino-americano no Gigantes, ambos resultados de uma contratação de peso: o capitão Wanheda. No 3º Split da LBFF, a RED conseguiu evoluir nas últimas semanas da fase regular, mas nas Finais tropeçou na décima colocação, que levou o time até o Play-In da FFCS. Apesar do sofrimento, a Matilha conseguiu a vaga, encerrando a temporada como o sétimo melhor time das Américas.

Garena

4. SS E-Sports (Tami, Leal, Pão, Cauan, Aranha, Antunes; Técnico: Metal)

A caminhada até aqui:

  • 18º lugar C.O.P.A. Free Fire
  • Campeão LBFF 3
  • 3º lugar FFCS das Américas

A SS, bem com o Santos, estreou na elite com as expectativas em alta por causa da Série C, mas amargou o último lugar na C.O.P.A. FF. Na LBFF, o time entrou mais focado e bem preparado: com Cauan inspirado, a equipe deu trabalho na etapa regular e mais tarde foi campeão com a Tami sendo a primeira mulher a levantar o troféu da Liga Brasileira de Free Fire. Na FFCS das Américas, o time não conseguiu repetir a façanha do nacional, mas abrilhantou um terceiro lugar.

Garena

3. Vivo Keyd (Tksh, Kbção, R7xy, VICTORxv, Vazily; Técnico: K9)

A campanha até aqui:

  • Vice-campeão LBFF 1
  • 9° lugar C.O.P.A. Free Fire
  • Vice-campeão LBFF 3
  • 6° lugar FFCS das Américas

A Vivo Keyd, com dois elencos diferentes, um experiente e outro novato, viu-se atormentada pelo vice-campeonato duas vezes na LBFF e terminou o ano com o sexto lugar na FFCS das Américas. K9, técnico da equipe, encerrou sua passagem pela organização, mas fez história no último ano e foi um dos principais responsáveis pelo triunfo da equipe ao longo da temporada.

Garena

2. paiN Gaming (Black00, déco, Ricck, D3, Geerty, Rood, Kayke; Técnicos: Coronel e Felpy)

A campanha até aqui:

  • 9° lugar Copa América
  • 4° lugar LBFF 1
  • Vice-campeão C.O.P.A. Free Fire
  • 3° lugar Gigantes Free Fire
  • 4° lugar LBFF 3
  • 4° lugar FFCS das Américas

A paiN foi o único time que disputou todos os seis campeonatos oficiais do ano. Apesar dos altos e baixos, a pior campanha aconteceu ainda no início do ano, na Copa América. No restante dos campeonatos, se manteve sempre entre os quatro melhores, sendo ainda vice-campeão da C.O.P.A. FF e terceiro colocado no Gigantes.

Garena

1. Team Liquid (LUUKING, Lukas.TD, Peu, Zenac, Boss, Martins; Técnico: Souto)

A campanha até aqui:

  • Campeão LBFF 1
  • 14° lugar C.O.P.A. Free Fire
  • 3° lugar LBFF 3
  • Campeão FFCS das Américas

A Team Liquid levantou o troféu da LBFF 1 e fechou o ano como o melhor time latino-americano após o título na FFCS das Américas. Depois de uma campanha desastrosa na C.O.P.A. FF, a Cavalaria foi pontual nas contratações de Martins e Boss, não se deixou levar pelo banimento de Peu e fechou o ano em alta levando o principal campeonato da temporada.

Reprodução
Categorias: Destaques, Free Fire
Tags: ,

1 Comment

  1. Petrickson Teixeira

    22 de janeiro de 2021 at 20:14

    Bora assistir la

    Reply

Deixe um comentário!