Mesmo sem BOOYAH, LOUD é o melhor time da segunda rodada da LBFF 4

Mesmo sem ganhar nenhum BOOYAH, a LOUD foi o melhor time da segunda rodada da LBFF 4, que teve seis vencedores em seis mapas diferentes

Equipe mostrou um jogo bem agressivo e liderou pontuação geral e número de abates no segundo dia de competição, que ficou marcado pelo equilíbrio, jogo posicional e seis BOOYAHs diferentes

A segunda rodada da quarta temporada da Liga Brasileira de Free Fire ficou marcada pelo equilíbrio e pelo jogo posicional. As equipes, com raras exceções, optaram por estratégias mais de rotação e posicionamento, muito em função de várias estreias em seus elencos e a busca pelo entrosamento.

Mesmo assim, presenciamos muitas jogadas de qualidade e equipes que também souberam ser agressivas, como a Loud, que trouxe o melhor jogador da LBFF 3, Cauan, e conseguiu ainda mais poder de fogo para o torneio. Na rodada 2, aliás, foi essa a equipe que, mesmo sem nenhum BOOYAH, foi a que melhor pontuou, mostrando aquilo que já prevíamos em nossas análises: time que faz abates, vai melhor na tabela.

Também pudemos ver gratas surpresas, como a Meta Gaming, uma das caçulas da LBFF 4. Com estilo bem agressivo, essa equipe, que foi um dos destaques da série B, enfrentou as grandes organizações de igual para igual

Queda 1 – Purgatório

Booyah – B4 (+27 pontos)

A primeira queda do dia foi para fazer o fã de Free Fire ficar bem ligado e, logo de cara, ele já foi presenteado com uma bela trocação entre Santos e Cruzeiro, com a Raposa eliminando o Santos com ótima atuação de Cebolinha, que viria a levar uma kill na sequência.

Depois desse início fulminante, pudemos presenciar um combate entre duas estreantes na Série A: Fluxo e Meta Gaming, com a Meta surpreendendo e conquistando um squad wipe. Foi o cartão de visitas de um dos caçulas da LBFF 4.

Apesar do jogo de alto nível por todos os lados, o destaque foi mesmo a B4. Com incríveis 15 abates, a equipe, que dessa vez compete sem a bandeira do Flamengo, parece ter recuperado os bons tempos de Free Fire mais agressivo visto na C.O.P.A. FF, conquistando o melhor BOOYAH do dia

Suas jogadas podem ser consideradas oportunistas; A B4 conquistou boa parte de seus pontos se aproveitando de combates diversos pelo mapa. Com boas calls e um posicionamento inteligente, a equipe conseguiu somar 27 pontos.

A jogada derradeira foi após uma trocação tripla que envolveu a INTZ e a Team Liquid. Pão, com cinco abates, foi o destaque.

Queda 2 – Kalahari

Booyah Cruzeiro (+18 pontos)

Por ser um mapa mais curto, Kalahari sempre proporciona muita trocação e, logo de cara, Santos e Cruzeiro, repetindo o que ocorreu na queda passada, esboçaram começar mais um duelo. Entretanto, com dois posicionamentos bem ruins, ambos desistiram de trocar tiros.

O início dessa queda, talvez, tenha feito com que o time mudasse um pouco sua estratégia e ficasse mais posicionado em vez de sair trocando a torro e a direito. Deu certo. O BOOYAH conquistado e os 18 pontos marcados foram de suma importância não apenas para a tabela, mas para meio que determinar como os confrontos seguintes seriam.

A primeira queda em Kalahari também teve um importante duelo: Loud e SS. E como não poderia deixar de ser, teve “Lei do Ex, com dois abates muito bem feitos por Cauan, MVP da LBFF 3. Esse abates, claro, contribuíram para que a LOUD fosse a equipe que mais pontuasse aqui, com 21 tentos.

Queda 3 – Bermuda

BOOYAH – INTZ (+19 pontos)

A terceira queda, a primeira em Bermuda, foi marcada por um jogo mais posicional, que teve na INTZ a melhor executante desse estilo. Logo de cara, a equipe soube se posicionar e, talvez, foi a que fez a melhor safe predict do dia. O início, no entanto, assustou: em meio a uma rotação, os intrépidos flagraram um confronto entre B4 e Fluxo, que lhe rendeu alguns bons abates para a conta.

Nem mesmo alguns wipes, como a da Meta sobre a SS e da Loud sobre a Pain fizeram com que essa queda em específico fosse muito agitada. Melhor para a INTZ, que soube administrar seu jogo e um desempenho não tão bom dos adversários. Moreira, individualmente, foi o destaque.

Queda 4 – Purgatório

BOOYAH – God (+20 pontos)

Na volta à Purgatório, o Cruzeiro, mais uma vez, entrou em um confronto logo da cara mas, dessa vez, se deu mal, tendo que ser obrigado a sacrificar Cebolinha para salvar o restante da equipe, que fora alvejada pela Pain, que estava melhor posicionada.

De outro lado, a Meta, que mostrou um belo Free Fire nesse domingo, estava tendo um bom confronto com a Team Liquid, que, até aquele momento, estava devendo um melhor desempenho.

Sem wipes, foi vez de vermos os resultados desses confrontos: o Cruzeiro, que havia perdido Cebolinha, foi em desvantagem para enfrentar o Santos em outro ponto do mapa e acabou dizimado. Já a Team Liquid, mãos uma vez, deixou a desejar e ficou pelo caminho.

Melhor para a GOD, que depois de dois segundos lugares nas duas primeiras quedas do dia, conseguiu seu primeiro BOOYAH, aproveitando-se de um bom duelo entre Loud e Santos, que trocaram tiros no final e abriram espaço para um avanço mais seguro dos Deuses.

Essa queda, aliás, começou a marcar uma recuperação da Fluxo, que venceu – e bem – uma trocação contra a B4, que, àquela altura, já estava com uma queda vertiginosa de rendimento.

Queda 5 – Kalahari

BOOYAH – Santos (+ 21 pontos)

No retorno à Kalahari, a regularidade que garantiu à GOD uma boa colocação na rodada de hoje também pode ser atribuída ao Santos, que foi uma das melhores equipes do fim de semana. O Peixe conquistou seu BOOYAH tendo o segundo melhor desempenho do dia, com 21 pontos e espantou um pouco da desconfiança em torno da equipe, que foi completamente remodelada para a LBFF 4.

A jogada derradeira desse BOOYAH, aliás, foi de cinema: uma granada lançada por Fon eliminou três jogadores da Team Liquid e, como disse Murilo Show na transmissão: três Pokémon com uma só poké-bola. Antes disso, o Peixe já havia colhido alguns abates após um salseiro incrível entre Loud e a própria Team Liquid.

Já a cavalaria, que até conseguiu um BOOYAH no sábado (23), foi conseguir se recuperar no domingo apenas nessa queda, sendo a segunda equipe que mais pontuou (18 pontos).

Outra equipe de grande destaque seguia sendo a Loud que, mesmo sem BOOYAHs, acumulava abates. Entretanto, na volta à Kalahari, foi wipada pela Fluxo, organização que já apresentava uma melhora e caminhava para seu BOOYAH (ler mais abaixo)

Queda 6 – Bermuda

Booyah – Fluxo (+ 19 pontos)

A última queda do dia deu a entender que a Loud finalmente conquistaria seu primeiro BOOYAH, mas nos enganamos. Entretanto, a organização foi bem, logo de cara, eliminou a INTZ completamente. Seguindo agressiva, mas com apenas dois jogadores restantes, a equipe se encontrou com a GOD, que se aproveitou da superioridade numérica e os eliminou.

Depois disso, observamos como encontrar um bom posicionamento é importante. Meta, Pain e Fluxo fizeram uma boa leitura de safe e permaneceram por lá até o final da queda. Isso acabou resultando justamente boas pontuações pontuações para essas equipes nessa queda.

O BOOYAH, surpreendentemente, foi para os “novatos” da Fluxo, que fizeram algumas substituições para a última queda e conseguiram justamente com esse jogo posicional, cravar 19 pontos, com 7 abates. Essas kills, aliás, vieram em confrontos difíceis contra Cruzeiro e B4, que estavam ambas com um jogador cada.

A próxima rodada da Série A da LBFF 4 acontecerá no próximo sábado (30), com confrontos entre os grupos B e C. Acompanhe ao vivo na Loading e nos canais oficiais do Free Fire no YouTube e na BOOYAH!.

Categorias: Destaques, Free Fire
Tags:

1 Comment

  1. Luiz Carlos Bessa do Sacramento

    24 de janeiro de 2021 at 23:14

    Nos meus 59 anos estou me esforçando para estar apto em disputar uma LBFF.

    Reply

Deixe um comentário!