Furia bate recorde de abates em uma queda e assume liderança da LBFF 4

Em fim de semana marcado pelo equilíbrio, seis equipes marcaram BOOYAH e tiveram desempenhos interessantes na sexta rodada. A Furia, nova líder, bateu o recorde de abates em uma única queda, com 21 kills.

Em fim de semana marcado pelo equilíbrio, seis equipes marcaram BOOYAH e tiveram desempenhos interessantes na sexta rodada. A Furia, nova líder, bateu o recorde de abates em uma única queda, com 21 kills.

A Liga Brasileira de Free Fire tem um novo líder. A Furia, mesmo sem ser o melhor time do dia, conseguiu somar os pontos suficientes e assumiu a liderança da quarta temporada. Seu desempenho na sexta rodada, aliás, foi marcado por um ato histórico dentro do circuito: os Panteras registraram o maior número de abates em uma só queda: 21, na primeira ida à Kalahari. Ao todo, no dia, foram 35, ou seja, mais da metade em apenas uma partida.

A sexta rodada, no entanto, também ficou marcada pelo renascimento de equipes recém-promovidas da Série B, como a Meta Gaming e a Team One. A Meta foi o melhor time do dia, mesmo sem registrar BOOYAH, somando 68 pontos. A Team One, por outro lado, também apresentou desempenho consistente e somou 63 pontos, completando o TOP 3, que teve, também, a GOD, em segundo lugar, com 65.

Veja abaixo um resumo de cada uma das quedas da sexta rodada da LBFF 4:

Queda 1 — Purgatório
BOOYAH: Flamengo E-Sports (+18 pontos)

Talvez por estar recheado de equipes do Grupo C, a primeira queda deste domingo teve um roteiro parecido com o sábado, em que, muitas vezes, as equipes demoravam muito a começar os combates. O Flamengo, sabidamente uma das equipes mais agressivas do torneio, teve que fazer um jogo mais pautado em rotações e sobrevivência para garantir o BOOYAH.

Prova disso é que com uma boa safe predict, a equipe carioca conseguiu se manter em um bom ponto do mapa para bater, em uma espécie de 4×4 improvisado, jogadores de Santos, Team One e Team Liquid. Essa queda, aliás, mostrou que algumas equipes teriam um bom dia, como a Team One e a Meta Gaming, que somaram 15 e 10 pontos, respectivamente.

Falando mais especificamente do que fez o Flamengo, as equipe entrou em poucos confrontos e se aproveitou de duelos para colher alguns abates. Foram poucos, é verdade, mas que ajudaram na soma dos 18 pontos.

Queda 2 — Kalahari
BOOYAH: Furia (+33 pontos)

Um ato histórico da Furia na segunda queda do dia, a primeira em Kalahari. Com domínio completo dos confrontos diretos, como contra a Meta Gaming no meio da partida e, depois, contra o Santos ao final, a equipe fez um Free Fire primoroso e somou 21 abates, recorde absoluto na história da LBFF. Foram 33 pontos, maior marca nessa edição do certame, com o novo esquema de pontuação.

O que impressionou nessa queda, além da altíssima precisão, foi o modo como os jogadores se movimentaram no mapa. Em vez de atuar em bloco, a Furia optou por ficar um pouco mais espalhada e atuar sem muitos rushes, mas sim com precisão e armas de longa distância. Isso aliás, pode ser justificado pelos números de abates dos meninos: 8 de one9, 6 de Biel e 6 de Field. Memgod fez apenas um, mas causou danos em praticamente todas as trocações.

Em uma queda com um time fazendo 21 eliminações, tem como mais alguém de destacar? Até tem. Novamente a Meta, que anotou 15 pontos, sobretudo em função de boas trocações, como no duelo contra a Team Liquid.

Queda 3 — Bermuda
BOOYAH: Team Liquid (+21 pontos)

Com mais um belo desempenho das caçulas Meta e Team One, que anotaram 8 abates cada, foi a vez da Team Liquid conseguir mais um BOOYAH no fim de semana, o terceiro se somarmos os dois do sábado. Essa queda, aliás, foi mais distribuída e pautada pela estratégia. Isso fez com que os abates ficassem mais distribuídos. Além dos oito dessas duas equipes, a Cavalaria marcou 9.

E esses abates foram essenciais para ajudar a equipe a avançar. Depois de um confronto duro logo de cara contra a Furia, que lhe rendeu uma perda, a Team Liquid teve que se desdobrar para conseguir vencer essa partida e subir mais na tabela. O confronto final, aliás, foi contra a própria Meta, que, apesar de estar menos agressiva do que em outros momentos, chegou com força para o fim da safe e acabou sucumbindo para a TL, que apresentava um posicionamento melhor.

Essa queda também marcou o retorno triunfal do bom desempenho de Cauã, da Meta, que foi o MVP da Série B na LBFF 3.

Queda 4 — Purgatório
BOOYAH: Red Canids (+19 pontos)

Mesmo com seu primeiro abate vindo depois de 17 minutos, a Red Canids conseguiu um dos BOOYAH mais inusitados da LBFF 4. Ao todo, depois de “decolar”, a Matilha somou 7 eliminações e conseguiu superar a pressão da Meta Gaming, que também foi muito bem (de novo) e, depois, da Team Liquid e da Furia.

Entretanto, com o fim do gás, sobraram, além da Red, a GOD, que começou a dar as caras na sexta rodada. E desse confronto é que veio o BOOYAH “inusitado”. Sem o gás, durou poucos segundos e pouco deu para ver o que aconteceu. Como a Matilha estava quatro jogadores, e a GOD apenas três, foi fundamental para que a vitória fosse obtida, algo que surpreendeu até os casters durante a transmissão.

Mesmo com essa confusão, vitória merecida da Red, que soube se posicionar e foi muito bem.

Queda 5 — Kalahari
BOOYAH: Pain Gaming (+16 pontos)

O lanterna da LBFF 4 é a Pain Gaming, mas já podemos identificar uma melhora da equipe nos momentos finais da penúltima queda do dia, a segunda em Kalahari. Mesmo em um mapa mais franco e aberto, os Tradicionais fizeram apenas quatro abates, mas o suficiente para conseguir esse BOOYAH. O segredo: posicionamento.

Em termos de desempenho, até podemos destacar outras equipes, como a Black Dragons e a Team One, que conseguiram mais abates e deram mais “show”, digamos assim. Como citamos acima, a Team One foi outra das equipes que somaram bom números de pontos sem se preocupar muito com BOOYAH. A equipe, aliás, é uma das poucas sem vitória e quedas, assim como a Meta, Corinthians e também a Black Dragons.

Mas como será que a Pain conseguiu vencer mesmo com poucos abates. A resposta está na paciência e no posicionamento. Com o gás acabando, times como Corinthians e BD se enfretavam e, naquele momento, já sem dois jogadores, a Pain optou por esperar e sobreviver. Deu certo.

Queda 6 — Bermuda
BOOYAH: GOD (+22 pontos)

Antes líder por aproveitamento, a GOD poderia encostar de vez na liderança geral e assim foi. Com 12 quedas no fim de semana e a equiparação de jogos entre todos os times, os Deuses não brilharam como em outras rodadas, mas fizeram o suficiente para conseguir mais um BOOYAH, o quinto na LBFF 4, chegando aos 256 pontos.

A vitória veio com seu estilo de jogo característico, com muitos abates (10) e 22 pontos na conta, o que fizeram com que a equipe ficasse em segundo lugar no dia, como citamos no início dessa matéria. Como jogada de destaque, claro, a final, que teve uma bela trocação com a Pain, que jogara melhor do que na queda em que conquistou BOOYAH. Para ganhar, a GOD aproveitou a superioridade numérica para aniquilar os adversários.

A LBFF 4 volta no próximo sábado, quando os grupos A e B se enfrentam. Acompanhe ao vivo na Loading e nos canais oficiais do Free Fire no YouTube e na BOOYAH!.

Categorias: Destaques, LBFF
Tags: , , ,

Deixe um comentário!