Batman comenta início de campeonato da INTZ, inconstância e novas contratações

Técnico da INTZ avalia positivamente o momento da equipe no início do campeonato, mas liga alerta com relação a inconstância dos Intrépidos.

A INTZ terminou a última semana da LBFF 4 no 10º lugar e segue na briga pelas primeiras colocações do campeonato. Batman, técnico dos Intrépidos, embarcou no Free Fire eSports e respondeu algumas perguntas com relação às apresentações da equipe até o atual momento da competição, a inconstância característica da organização e as mudanças que o elenco sofreu após a Série de Acesso na temporada anterior.

Confira as palavras do treinador:

Bom início de campeonato, mas pode (e deve) melhorar

“Até esse momento do campeonato, creio que a gente tem trabalhado com uma inconstância que tem pesado nos resultados da equipe como um todo. Hoje, estamos em um Top 3 de BOOYAHS!, porém temos alguns problemas dentro de jogo que acabam prejudicando com que a gente suba mais na tabela”, disse Batman.

“A estratégia adotada por nós é sempre focar na sobrevivência, contudo, com a mudança dos grupos, a gente tem procurado se adaptar melhor a cada grupo, de acordo com as equipes que estão. O grupo A hoje é mais agressivo, enquanto o grupo C é o menos. Isso faz com que a gente tenha que ter diferentes estratégias de acordo com os grupos”, continuou.

“O fator principal que tem me alegrado é que estamos em uma evolução como equipe e isso é algo que pode ser crucial nas fases finais de classificatória”, completou.

INTZ inconstante desde sempre?

“Enxergo isso (INTZ ser um time de altos e baixos) como algo ruim, porém acredito que é uma construção. Cada vez que erramos, cada ponto que erramos, mesmo em treinos, o que faço é sentar com os jogadores e procurar entender e melhorar os pontos que fizeram a gente perder o jogo naquele momento.”

“Kalahari tem sido o maior dos nossos problemas, nossa adaptação lá é algo que tem sido construído aos poucos, mas a evolução já tem sido notada. Acredito que até o final das classificatórias, os erros serão consertados e isso nos ajudará a classificar. Um passo de cada vez.”

Mudanças no elenco

“As mudanças na equipe foram pontuais, mas sempre mantendo o processo principal como determinante para o nosso desempenho. Sempre tive em mente trabalhar um estilo de jogo que se adaptasse a cada jogador. Atualmente, os problemas a serem resolvidos são, na maior parte, voltados ao entrosamento, principalmente porque temos 2 jogadores novos. E os pontos positivos é que a união da experiência dos jogadores mais antigos com a vontade dos mais novos pode dar uma fórmula legal para o nosso crescimento.”

Considerações finais

“Dessa vez, o trabalho tem sido presencial, o que é muito melhor do que o remoto, quando falamos de construção de line-up. Tento sempre colocar os jogadores mais velhos como possíveis mentores ingame para que os mais novos não sintam tanto a pressão de disputar um campeonato de tão alto nível, com as melhores equipes do país. Trabalhar a confiança deles, tentando extrair o que cada um tem de melhor tem sido o principal foco em busca da evolução. Confio bastante nessa equipe e acredito que ainda podemos melhorar.”


Leia também:

Categorias: Free Fire, LBFF, Série A
Tags: ,

Deixe um comentário!