INTZ - Header

#Trajetórias: os Intrépidos, a INTZ

Conheça um pouco da intrépida jornada de um dos times mais tradicionais do e-Sports nacional - do League of Legends ao Free Fire, a INTZ.

intrépido
in·tré·pi·do

adj sm
Que ou aquele que não teme o perigo, que não tem medo; corajoso, teso: INTZ

O #Trajetórias de hoje traz uma intrépida jornada nos e-Sports nacionais e no Free Fire: a INTZ é um dos times nacionais mais tradicionais e conta com equipes em diversos jogos, construindo uma bela história no cenário.

Como você já sabe, nossa coluna traz informações, curiosidades e alguns dos resultados expressivos dos times de Free Fire, nacionais e internacionais. Contamos a história de todos os participantes da aguardada FFWS, que acontece no final desse mês – clique aqui para ver tudo.

A entrada no Free Fire e os primeiros resultados

Fundada em 2014, a INTZ começou sua jornada no League of Legends, assim como diversas outras organizações de e-Sports, onde se consolidaram no cenário competitivo. Além disso, a organização se orgulha em ser o primeiro clube a investir no cenário de Free Fire nacional, sua entrada no Battle Royale aconteceu em janeiro de 2019.

A estreia da INTZ num campeonato oficial da Garena aconteceu na primeira temporada da Pro League, onde o time mostrou um grande desempenho, conquistando a terceira colocação e a premiação de R$ 4 mil. Mas nas competições mobile, esse foi também o melhor resultado da equipe, que teve desempenhos abaixo do esperado nos anos seguintes.

Pro League
INTZ na Free Fire Pro League

Em seguida, na segunda e terceira temporadas da Pro League, a equipe amargou as 9ª e 8ª colocações, respectivamente. Já na primeira temporada da LBFF, o time conseguiu uma boa quinta colocação, mas os Intrépidos ainda queriam, e podiam, muito mais.

Após um promissor quarto lugar na C.O.P.A. Free Fire, o time passou a enfrentar um insistente fantasma do rebaixamentos nas edições 3 e 4 da LBFF. Iniciando os campeonatos como um dos favoritos, a INTZ mostrou desempenhos inconsistentes e amargou o 15º lugar nas duas ocasiões.

A nuvem do rebaixamento

Assim, de acordo com o regulamento da LBFF, a INTZ precisou encarar por duas vezes o temido Grupo de Acesso. A disputa reúne quatro times da série A e 8 da Série B, garantindo aos quatro melhores a participação na elite do Free Fire na temporada seguinte.

Na primeira ocasião, os Intrépidos passaram sufoco e viram de perto a ameaça de ficarem de fora da Série A. Com um desempenho ruim nas 2 primeiras quedas, a equipe somou 139 pontos, apenas 15 a mais que a NewX Gaming, quinta colocada.

Já no último dia 03 de abril, a INTZ encarou novamente o Grupo de Acesso e, dessa vez, encontrou seu jogo e mostrou um sólido desempenho durante as 09 quedas. Dessa vez, a equipe começou o dia muito bem e garantiu a dobradinha logo de cara, passando a administrar os resultados nas quedas seguintes. Como resultado, somou 90 pontos, sendo 33 deles vindo de abates. Se você quiser conferir mais detalhes do desempenho da equipe nesse dia, confira aqui.

O fator psicológico foi, provavelmente, o grande trunfo da equipe na ocasião. Além da experiência em momentos de provação, a equipe soube manter o equilíbrio e triunfar, garantindo sua permanência na Série A. Por fim, atualmente a equipe da INTZ conta com os seguintes jogadores:

  • Lucas “LUKASKN” Kauan Renan;
  • “Italo” Igor Borges Pereira;
  • Guilherme “Vazily” Martins;
  • Eduardo Costa “Guerra”

Caso você queira rever o Grupo de Acesso, o VOD está disponível aqui, no canal oficial do Free Fire Brasil no YouTube.

LBFF volta ainda esse ano, com calendário à ser divulgado. Acompanhe nosso site para as notícias do mundial e para conhecer os times que disputarão a FFWS 2021 SG.

Categorias: Destaques, Free Fire, Série A, Trajetórias
Tags:

Deixe um comentário!